terça-feira, maio 17, 2011

Cento e Dois Mil Metros



Foi esta a distância que "corri" há pouco mais de duas semanas na ultra-maratona de montanha Oh Meu Deus. Digo "corri" entre aspas porque em boa verdade a grande maioria da prova é feita a caminhar, e para mim nos últimos 10kms acho que a palavra "caminhar" é uma força de expressão, na verdade "arrastei-me" tal era o estado (miserável, empenado, dorido, "que nem uns cepos"...) das minhas pernas.

Passar os 100kms numa prova de corrida foi um marco pessoal nesta grande maratona que iniciei há cerca de 9 anos.

Em 2002, motivado pela participação nas Corridas de Aventura (que ainda hoje pratico com grande entusiasmo), comecei a dar as primeiras corridas. Ao início eram umas tímidas corridas dadas ao final da tarde na zona da Expo, mas rapidamente adquiri disciplina e regularidade de treino (e também o prazer de correr!) e estes foram-se tornando gradualmente mais longos.

Até que em 2003 decidi correr a primeira meia-maratona (a da ponte Vasco da Gama). Estava apreensivo pois nunca tinha corrido tantos kilómetros de uma só vez, mas a verdade é que superei o desafio com relativa facilidade e fiz 1h40m (seguiram-se mais algumas meias-maratonas, e ainda hoje a minha melhor marca pessoal é de 1h35m). Em 2007 tive que adicionar uma maratona ao meu currículo (a única até agora).

Em 2009 veio a primeira ultra-maratona, mas deste vez na montanha, com terreno técnico e muito sobe e desce. Este Ultra Trail da Serra da Freita teve 60km. Adorei: melhor que correr no asfalto, só mesmo correr no meio da Natureza! Em 2010 fui a França fazer 70km também na montanha, e regressei á Freita mas desta vez já eram 70km muito mais duros que no ano anterior.

Para mim correr já não é apenas um prazer, é um vício. Não posso ficar muitos dias sem correr. Para onde quer que vá tento sempre levar as sapatilhas e calções, e quanto estou em viagem (seja em férias ou trabalho) faço sempre por incluir uma corrida no meu programa de visitas (como se pode ver no post anterior deste blog).

Estes 102km que fiz na Serra da Estrela são o resultado de vários anos a correr e participar em provas com alguma regularidade. Não fiz qualquer preparação específica para esta prova, não treinei mais que o normal, nem tive um plano de treinos feito a pensar nela. Simplesmente inscrevi-me e fui lá porque precisava de pontos. Pontos para quê? Para me poder inscrever na 'mítica' ultra-maratona de montanha Ultra Trail du Mont Blanc, com 166km e 9500m de subida acumulada. Em princípio será só para 2012 e convém começar a correr!

PS: Não posso deixar de agradecer aos amigos que têm participado comigo em muitas destas corridas, principalmente o Lino e o Hugo, e que as tornam ainda mais porreiras!

4 comentários:

José Lorga disse...

Forca amigo, as tuas aventuras inspiram-me!

basto disse...

Muito Bom! Contado ninguém acredita, mas sou testemunho da evolução. Uma vénia de parabéns!! Fantástico.
Ando a ler um livro de um americano, que em muito do discurso me faz lembrar tu: Dean Karnazes, Quem Corre por Gosto, com o relato de 50 maratonas em 50 dias! Isto realmente a barreira está onde a gente a coloca! Parabéns e força para os alpes!!

Gato disse...

Lorga, também estás no bom caminho! Já chegaste à fase da maratona! ;)

Paulo, obrigado!
Quanto ao Dean Karnazes também já li um dos livros dele (http://napatagonia.blogspot.com/2007/06/o-homem-da-ultra-maratona.html), e ele até já esteve cá no Ultra Trail da Serra da Freita!
Esse projecto das 50 maratonas tinha o patrocínio da The North Face. À grande, portanto...
Recentemente conheci um "ultra atleta" Brasileiro, o Raphael Bonnato, que fez algo semelhante no Brasil: 20 e tal maratonas, todas seguidas, uma em cada estado Brasileiro.
É só maluquinhos das corridas!

Hugo disse...

Belos empenos que temos apanhado! :)

O prazer tem sido meu e do Lino.

Já agora Paulo, o Dean Karnazes é para meninos :) (tb já li), lê o "nascidos para correr", esses sim são uns gandas malucos.